5 CINE KURUMIN . ano 2016

ALDEIA TUMBALALÁ | 26 A 28 DE FEVEREIRO

PALACETE DAS ARTES | SALVADOR | 04 A 06 DE MARÇO

ALDEIA KIRIRI | 01 A 03 DE ABRIL

2016

Vinheta Cine Kurumin from Espalha Semente on Vimeo.

Vinheta Cine Kurumin 2c from Espalha Semente on Vimeo.

FILMES EXIBIDOS NO 5 CINE KURUMIN / ano 2016

A HISTÓRIA DA CUTIA E DO MACACO
Fic. | 2014 | 12 min. | Direção: Wisio Kayabi
Sinopse: O filme é baseado em uma história tradicional do povo kawaiweté. Este curta-metragem foi feito a partir do material capturado na segunda edição da Oficina de Formação Audiovisual das Mulheres Indígenas, realizada em junho de 2009, na aldeia Kwarujá, Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso.

A HISTÓRIA DO MONSTRO KÁTPY
Fic. | 4min. | 2009 | Direção: Kamikia Kisêdjê
Sinopse: Em “A história do monstro Kátpy”, os índios Kisêdjê, da Aldeia Ngôjwêrê no Mato Grosso, encenam e filmam a lenda do índio feio que ameaça os caçadores na mata.

ANTROPOFAGIA VISUAL
Doc. | 17min. | 1994 | Direção: Vincent Carelli
Sinopse: O projeto Video nas Aldeias chega aos índios Enauênê-Nauê, um grupo ainda isolado no Norte de Mato Grosso. Muito extrovertidos, os índios reagem à presença da câmera com um espírito performático surpreendente: muita palhaçada e uma encenação de ataques dos seus vizinhos, os Cinta-Larga, num passado ainda recente. A medida que se habituam a assistir filmes de ficção, eles resolvem produzir o seu…

Casa dos Espíritos / WATORIKI XAPIRIPË YANOPË
Doc. | 24 min. | 2010 | Direção: Morzaniel Iramari e Dário Kopenawa
Sinopse: Os mais velhos reforçam a importância da tradição e garantem sua perpetuação, para que os Yanomami não deixem suas aldeias para se tornarem brancos. As crianças acompanham tudo de perto, participam das caçadas, preparam caiçuma e açaí para um grande encontro, aprendendo a ser Yanomami.

COMO FAZER ARCO E FLECHA
Animação | 4 min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: As crianças huni kuĩn da Terra Indígena Kaxinawá do Rio Humaitá mostram como se brinca.

CORDILHEIRA DE AMORA II
Doc. | 12 min. | 2015 | Direção: Jamille Fortunato
Sinopse: Sentindo-se sozinha em sua nova casa, Kariane Martines cria um mundo encantado no seu quintal cheio de sonhos e brincadeiras. ͆Cordilheira de Amora II͇ é uma viagem lúdica através do imaginário de uma indiazinha Guarani Kaiowa de 8 anos, que vive na Aldeia Amambai, no Mato Grosso do Sul, próximo a fronteira com o Paraguay.

CORUMBIARA
Doc. | 117min. | 2009 | Direção: Vincent Carelli
Sinopse: Leiloada durante o governo militar, a gleba Corumbiara, no sul de Rondônia, é o cenário, em 1985, de um massacre de índios isolados. Apesar dos visíveis sinais da tentativa de apagar as evidências de sua existência, filmadas pelo documentarista Vincent Carelli, e das denúncias do indigenista da FUNAI Marcelo Santos, o caso é esquecido. Dez anos depois, o encontro de dois índios desconhecidos numa fazenda oferece a primeira oportunidade a Santos e Carelli de retomar o fio desta história, que registra muitas lacunas, mas revela aos poucos os inequívocos sinais da continuidade dos crimes contra os povos indígenas, num processo de selvagem apropriação da terra na Amazônia. Neste filme, realizado ao longo de mais de 20 anos, abre-se espaço também a uma autocrítica das próprias estratégias indigenistas, além de se dar voz aos próprios índios.

DIA DE PESCA E DE PESCADOR
Doc. | 5min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Venha ver a pescaria das crianças huni kuĩ.
ESPELHO PARTIDO
Doc. | 5min. | 2011 | Direção: Coletivo Tupinambá
Sinopse: Um filme sobre identidade indígena realizado durante a oficina de formação audiovisual do Cine Kurumin.

ETE LONDRES – LONDRES COMO UMA ALDEIA
Doc. | 30 min. | 2016 | Direção: Takumã Kuikuro
Sinopse: Ete Londres segue a viagem feita pelo cineasta Indígena Takumã Kuikuro ao coração de uma das cidades mais movimentadas do mundo: Londres. Deixando por um mês sua família e povo no Parque Indígena do Xingu, no Brasil central, Takumã desembarca na Europa com uma câmera nas mãos, a paixão pelo registro visual e o desejo de explorar as similaridades e diferenças entre sua cultura e a dos Hiper-brancos, termo usado pelos Kuikuro para designar os não-brasileiros. Um documentário bem humorado e antropológico sobre a sociedade ocidental e suas muitas tribos escondidas sob os arranha-céus.

FORMAÇÃO AUDIOVISUAL DAS MULHERES INDÍGENAS
Doc. | 2013 | 17 min. | Direção: Mari Correa
Sinopse: O Instituto Catitu propõe dar voz e visibilidade às mulheres indígenas da Amazônia brasileira capacitando as no uso de ferramentas e linguagens contemporâneas de produção cultural, como o vídeo e a fotografia, para a valorização dos saberes femininos e o fortalecimento de seu protagonismo. O projeto é uma iniciativa inédita no Brasil que atende a uma demanda das mulheres indígenas por um forma criativa de expressar suas ideias e saberes.

IHIATO – NARRATIVAS DOS ANCIÃOS FULNI-Ô
Doc. | 16min. | 2015 | Direção: Elvis Ferreira
Sinopse: O filme aborda as memórias dos moradores mais velhos do Aldeamento sobre questões ímpares da história local como a dificuldade de convivência com os não-índios, a trajetória de luta do Padre Alfredo Dâmaso, entre outras belas histórias. A obra também é mais um registro do Yaathe, único idioma genuíno do Nordeste Brasileiro preservado até os dias atuais (todo o filme é na língua mãe dos Fulni-ô).

ÍNDIO CIDADÃO?
Doc. | 52min. | 2014 | Direção: Rodrigo Siqueira
Sinopse: A luta das nações indígenas para conquistar – e manter – os direitos garantidos pela lei. Contando com depoimentos de ativistas e importantes lideranças, o documentário aborda momentos marcantes desta jornada, que segue até hoje, como a ocupação da Câmara dos Deputados em 2013 e a Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Constitucionais, ameaçados pelo próprio Congresso Nacional. Uma batalha para impedir que continue o extermínio de lideranças e grupos indígenas, uma batalha para garantir o direito do ser humano.

ÍNDIOS NO PODER
Doc. | 20 min. | 2015 | Direção: Rodrigo Siqueira
Sinopse: Mario Juruna, único índio parlamentar na história do país, não consegue se reeleger para a Constituinte(1987/88). Sem representante no Congresso Nacional desde a redemocratização, as Nações Indígenas sofrem ataques aos seus direitos constitucionais pela Bancada Ruralista. O cacique Ládio Veron lança candidatura a deputado federal nas Eleições 2014, sob ameaças do Agronegócio, com o slogan “Terra, Vida, Justiça e Demarcação.”

KATXA NAWA FESTA DA FERTILIDADE
Animação | 6 min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Pintura com urucum e jenipapo, festa para a fertilidade das plantas… As crianças Huni Kuĩ do Acre mostram o jeito de fazer e celebrar a vida.

KIRIRI DE MIRANDELA
Doc. | 30 min. | 2015 | Direção: Coletivo Kiriri
Sinopse: A história de retomada do território kiriri é contata pelos próprios indígenas no filme que também mostra a realidade atual da aldeia.

MA Ê DAMI XINA: JÁ ME TRANSFORMEI EM IMAGEM
Doc. | 32min. | 2008 | Direção: Zezinho Yube
Sinopse:Comentários sobre a história de um povo, feito pelos realizadores dos filmes e por seus personagens. Do tempo do contato, passando pelo cativeiro nos seringais, até o trabalho atual com o vídeo, os depoimentos dão sentido ao processo de dispersão, perda e reencontro vividos pelos Huni kui.

MARANGMOTXÍNGMO MIRANG – DAS CRIANÇAS IKPENG PARA O MUNDO
Doc. | 35min. | 2001 | Direção: Natuyu Yuwipo, Karané e Kumaré Txicão
Sinopse: Quatro crianças Ikpeng apresentam sua aldeia respondendo à vídeo-carta das crianças da Sierra Maestra em Cuba. Com graça e leveza, elas mostram suas famílias, suas brincadeiras, suas festas, seu modo de vida. Curiosas em conhecer crianças de outras culturas, elas pedem para que respondam à sua vídeo-carta.

MARIA DE TUMBALALÁ
Doc. | 5min. | 2011 | Direção: Cine Kurumin
Sinopse: D. Maria de Lurdes, índia tumbalalá, conta histórias sobre o sertão indígena.

Ñguné Elü – O DIA EM QUE A LUA MENSTRUOU
Doc. | 2004 | 24min | Direção: Takumã Kuikuro, Maricá Kuikuro
Sinopse: Durante uma oficina de vídeo na aldeia kuikuro, no Alto Xingu, ocorre um eclipse. De repente, tudo muda. Os animais se transformam. O sangue pinga do céu como chuva. O som das flautas sagradas atravessa a escuridão. Não há mais tempo a perder. É preciso cantar e dançar. É preciso acordar o mundo novamente. Os realizadores kuikuro contam o que aconteceu nesse dia, o dia em que a lua menstruou.

NO CAMINHO COM MÁRIO
Doc. | 20min. | 2014 | Direção: Aldo Ferreira, Ariel Ortega, Leo Ortega, Patricia Ferreira, Ralf Ortega
Sinopse: Na Aldeia de Koenju, no Rio Grande do Sul, o jovem Mário tira onda com os desafios da realidade Mbya-Guarani de hoje.

PINDJÔKANGÔ OICÕ DJÃ NHO MEÓKÀ – COCAR DE CANUDOS
Doc. | 1 min. | 2015 | Direção: Associaçao Mebengokre
Sinopse: Película de um minuto da série “ artesanias”.

PIRINOP: MEU PRIMEIRO CONTATO
Doc. | 82min. | 2007 | Direção: Mari Corrêa e Karané Ikpeng
Sinopse: Documentário que retrata a luta dos Ikpeng para recuperar o seu território de origem no rio Jatobá, de onde foram removidos para habitar o Parque Indígena do Xingu.

PLACA NÃO FALA
Doc. | 26 min. | 1996 | Direção: Vincent Carelli, Dominique Gallois
Sinopse: Os índios Waiãpi narram sua trajetória desde os primeiros contatos com uma frente garimpeira na década de 70, até a demarcação de suas terras, concluída em 1996. Numa experiência piloto do Projeto de Demarcação de Terras Indígenas do G7, os Waiãpi dirigiram e executaram os trabalhos demarcatórios, com assessoria do CTI e da Funai. Enquanto narram a demarcação de suas terras, os índios Waiãpi fazem uma reflexão suas concepções de território desde antes do contato até os dias de hoje.

PRÎARA JÕ – DEPOIS DO OVO, A GUERRA
Doc.| 15 min. | 2008 | Direção: Komoi Panará
Sinopse: As crianças Panará apresentam seu universo em dia de brincadeira na aldeia. O tempo da guerra acabou, mas ainda continua vivo no imaginário das crianças.

RETOMADA
Doc. | 16 min. | 2015 | Direção: Leon Sampaio
Sinopse: Primeiro povo a fazer contato com os Portugueses no Brasil, os Tupinambá lutam atualmente pelas terras que os fazendeiros tomaram no início do século passado. O filme investiga o processo de resistência dos Índios Da serra do Padeiro, território liderado pelo Cacique Babau. Desde que babau virou cacique, os índios retomaram mais de cinquenta fazendas e lutam dia a dia pela sobrevivência.

TUDO OK. OS ÍNDIOS PATAXÓ HÃHÃHÃE E O DESENVOLVIMENTO RURAL
Doc. | 20 min. | 2015 | Direção: Jaborandy Tupinambá
Sinopse: Eu não conheço Cabral.

TUDO OK. OS ÍNDIOS PATAXÓ HÃHÃHÃE E O DESENVOLVIMENTO RURAL
Doc. | 25 min. | 2012 | Direção: Fábio Titiá e Peter Anton Zoettl
Sinopse: A “Reserva Indígena Caramuru-Paraguaçu” foi estabelecida nos anos trinta do século passado pelo SPI (Serviço de Proteção aos Índios), numa área reservada por lei para os índios da região pelo Estados da Bahia já em 1926. Porém, com a expansão da frente cacaueira e agropecuária, o território da Reserva pouco a pouco foi invadido por fazendeiros, confinando os índios a um espaço cada vez menor para a sua sobrevivência. Quando no inicio dos anos 80 a comunidade indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe, com a ajuda da FUNAI e da Polícia Federal, começou a reconquistar as suas terras, todo mundo dizia que a volta dos índios resultaria na falência da economia da região. Fomos a Pau Brasil, cidade vizinha da Reserva, para falar com os comerciantes e empresários locais. Será que é verdade que os índios Pataxó Hã-Hã-Hãe são um empecilho ao desenvolvimento.

TUMBALALÁ – TUPINAMBÁ IRMÃOS DO MUNDO
Doc. | 52 min. | 2004 | Direção: Sebastian Gerlic
Sinopse: O documentário mostra riquezas humanas, sabedorias e harmonias das populações indígenas, valorizando sua cultura historicamente subjugada. O documentário mostra o encontro de duas nações, uma ribeirinha vivendo no vale do Rio São Francisco e a outra litorânea, abrigada na Mata Atlântica. Ambas têm em comum o fato de lutarem pela demarcação de seus territórios e terem sido reconhecidas etnicamente. Este documentário parte do registro de um encontro intercultural com o objetivo de promover uma reflexão sobre a riqueza do mundo que reside na sua diversidade em diálogo.

TUPINAMBÁ – O RETORNO DA TERRA
Doc. | 25min. | 2015 | Direção: Daniela Alarcon
Sinopse: Os Tupinambá aguardam há dez anos a conclusão do processo de demarcação de sua terra e vêm tendo seus direitos sistematicamente violados, tanto pelo Estado brasileiro,como por indivíduos e grupos contrários à regularização de seu território. Com o filme, pretendemos dar visibilidade ao conflito e contribuir para pressionar o Estado brasileiro para que conclua, com urgência, o processo de demarcação da Terra Indígena Tupinambá de Olivença, garantindo os direitos de índios e não índios.

URIHI HAROMATIPË: CURADORES DA TERRA-FLORESTA
Doc. | 60 min.| 2014 | Direção: Morzaniel Yanomami
Sinopse: Os trovões estão avisando “a Terra está doente”. Para curá-la Davi Kopenawa reuniu os xamãs Yanomami de diversas regiões. Com a ajuda do alimento dos espíritos, o rapé yakoana, eles vão tratar os males provocados pelas cidades e doenças dos brancos.

VAMOS BRINCAR?
Doc. | 5min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Vídeo realizado com as crianças do povo Huni Kuĩ da Terra Indígena Kaxinawa do Rio Humaitá

YAMIY
Doc. | 15 min. | 2011 | Direção: Isael Maxakali
Sinopse: Os yamiys são espíritos do panteão maxakali. Eles são vários; virtualmente infinitos. E todos se conectam por uma metamorfose que os faz passar de um a outro. Serie, o yamiy é um devir mutante. A sua sequência é uma das formas de que os tikmû’û (maxakali) se servem para contar suas historias.

Anúncios